Desemprego: ferida dolorosa

 

O pior sintoma de uma crise é o desemprego. Ferida dolorosa, que amputa a dignidade e gera grande preocupação, assola, hoje, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 13,7 milhões de pessoas. A nossa região – Nordeste – ainda é a mais afetada, com taxa de 15,9% de inatividade.

 

De acordo com o IBGE, está faltando emprego para 27,7 milhões de pessoas, esse é o maior número desde o início da série histórica, em 2012.

 

Esse absurdo crescimento nos índices ocorre após a promulgação da Reforma Trabalhista – em 11 de julho de 2017 – ocasionando demanda negativa de trabalho.

 

Grande parte dos trabalhadores com carteira assinada – 32,9 milhões – agora estão exercendo serviços informais. Com isso, eles deixam de ter seus direitos trabalhistas assegurados, como 13º, férias, dentre outros. Os defensores da Reforma, é bom lembrar, proclamavam efeito contrário: muitos empregos! Ora, que falácia! 

 

A Reforma Trabalhista colocou o trabalhador, em casa, sem trabalho, sem direitos, sem esperanças. 

 

Portanto, cabe ao trabalhador a luta pelos seus direitos e o apoio às entidades sindicais. Precisamos unir, cada vez mais nossa categoria e enfrentar os desmandos dos empresários, resistindo!!! 

 

Compareça às reuniões, aos atos trabalhistas e aos encontros do seu Sindicato. Vem pra luta!

 

 

Milton Melo
Presidente do SECVGAF

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 4 =