Artigo Milton Melo: "Trabalhadores, tão essenciais quanto quem os empregam"

Clique na imagem para ler artigo no site do Jornal O Povo

No último dia 16 de setembro, o presidente Michel Temer assinou o Decreto nº 27.048, que reconhece os supermercados como uma atividade essencial ao desenvolvimento da economia brasileira. Um ramo que, dia após dia, só cresce e emprega cerca de um milhão e oitocentas mil pessoas em seus mais 89 mil estabelecimentos. Mais de um milhão e oitocentos mil trabalhadores que são tão importantes quanto as empresas que os empregam.

 O que seria dos supermercados sem mão de obra qualificada, preparada para atender a população com carinho e dedicação todos os dias? Os empresários e toda sua estrutura são, evidentemente, necessários para o desenvolvimento econômico e a geração de emprego, mas como eles sobreviveriam sem o apoio e a dedicação de seus funcionários? Por isso, esse momento também é importante para reconhecer e valorizar a atuação destes profissionais.

O respeito aos direitos trabalhistas e à classe trabalhadora deve ser priorizado para que o setor faça jus a tão importante reconhecimento. A nossa luta deve seguir no sentido de garantir, sim, o crescimento do País, mas com respeito ao nosso povo que, de maneira inquestionável, alavanca a nossa economia.

Nós, brasileiros, vivemos em um país iminentemente capitalista. Contudo, isso não quer dizer que devemos olhar e valorizar apenas as empresas e o consumo. Se continuamos em pé, é porque milhões de pessoas nos mantêm firmes. Então, precisamos perceber o indivíduo tão essencial como o que o rodeia. Ficamos felizes com o reconhecimento emitido pela Presidência da República. Parabenizamos o setor de supermercados pela conquista, mas, acima de tudo, parabenizamos os trabalhadores que todos os dias acordam cedo para prestar um serviço de qualidade à população do nosso País. Sem eles, nada faria sentido.

 

Milton Melo
jose.miltonr@hotmail.com
Presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Fortaleza (Secvgaf)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 5 =